quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Eu não vou fazer nada que você não queira... COMO?!




Quem nunca ouviu essa frase que atire a primeira pedra. Pois é, essa conversinha bonitinha há anos não engana mais. É aquela história do carinha que tá doido pra comer a mocinha e fica na frente do espelho "matutando" como vai ser feito o serviço, já que a mocinha é toda tirada a puritana. Sempre fui uma mulher muito bem resolvida e direta (tô longe de ser taxada como piriguete, tá gata?), nunca gostei dessa conversinha chata, cheia de blá blá blá. Uma mulher inteligente sabe reconhecer de longe quando o cara só quer tirar aquela famosa lasquinha, ou seja, comê-la. Já dizia a minha mãe (santa sabedoria materna): “primeiro eles te dão a comida e depois te comem”. E minha mãe não tava sendo radical quando soltou essa frase (ensinamento).

Observem que no primeiro dia, o cara prepara todo aquele ritual da conquista. Jantarzinho regado a um bom vinho, uma série de elogios que parecem um bombardeio, deixando o coração da mulher frágil (abestalhado) e completamente derretido. Depois de ter alimentado a sua presa em todos os aspectos, começa a parte que eu não suporto: o xavequinho pra levar pra cama. A mulher entra no carro, e vale ressaltar que o moçinho é quem nesse caso abre a porta para a princesa entrar (puro romantismo). E aí começa uma longa viagem...

Ela coitada, já tonta por conta daquele vinho adocicado (que ele jurou que quase não tinha álcool) fica a mercê. Então começa aqueles beijinhos ardentes, mordiscadas no pescoço, a típica língua no ouvido e uma porção de palavras lindas e excitantes. Então ela diz que não quer, junto com a desculpa esfarrapada do “ainda não é a hora certa, hoje é só o nosso primeiro encontro, ou vamos parar por aqui”.

Ele, que não é bobo nem nada, pára. E depois começa a tentar tudo novamente. Vale aqui lembrar que essa é a parte onde o casal ainda tá no carro. Daí que vem o baratino dele: namorar na rua é tão perigoso e começa a contar casos fictícios de acontecimentos com casais no carro, à mulher mais uma vez insegura é a primeira a se amedrontar e peca quando diz: “Então vamos sair daqui ao invés do seco me leve pra casa”. Ouvindo a frase que ele buscou desde o ensaio no espelho, ainda em casa. Finalmente é a hora de fazer aquele convite formulado por aquela velha frase clichê: “Vamos ao motel, só pra namorar e eu juro que não vou fazer nada que você não queira”. É nessa hora que digo meninas prepare-se, ele vai te comer. Ela aceita e o resto da historinha nem precisa eu contar (eles copularam).

Já fui umas duas vezes ao motel e não fiz nada. Certa vez o cara fez todo esse teatro citado acima e achei justo dar o troco nele, não dando aquilo que ele queria, mas deixei o pobre ir à loucura e fiz diferente dele. Quando o mesmo me perguntou por que não ia rolar, a bonita aqui jogou na sinceridade: “Simples, porque não tô afim”. Fui curta e grossa. Os homens de verdade, são mais diretos. Sabem fazer a coisa de um jeito tão envolvente que a mulher às vezes nem espera o convite e seus clichês. Ele consegue arrancar, através do olhar, do beijo que a mulher tá querendo sexo. Toda mulher tem um jeito diferente de dizer que tá afim de transar, algumas com um olhar mais sacana, outras através de um toque (seja lá onde for). Ainda tem aquelas que pedem de forma sutil, sem ser vulgar, de um jeito carinhoso (tira a calcinha no meio do jantar e coloca em cima da mesa rsrsrsr, tô só brincando).

Reflexão: Então meus meninos, não paguem de babaca. Dispensem esses clichês. Ousem, sem parecer cretinos, aproveitadores. Sem usar uma boa imagem pra impressionar e depois de comer e tchau. Não sejam animais. Sexo é bom, quando se tem desejo, vontade de ambas as partes. Deixem as coisas acontecerem de forma natural, sem forçar a barra. Homens que se portam desse jeito conseguem sim comer várias mulheres, mas só um vez. E o pior, não marcam de forma que a mulher nem lembra que foi comida por ele. É aquela onda de entrar na lista sabe?! Vocês descarregam toda a sua energia, mas o coração continua vazio. Lembrem-se que isso aqui é vida real e não um teste de elenco da novela das 8. Não sejam teatrais esqueçam as artes “cínicas”. Nós mulheres agradecemos. Obrigada! Sem mais.

Por Paula Kaline
Semessadeamelia@hotmail.com

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir