quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Despeito e sinceridade


Despeito. Se existir algo mais nojento em um ser humano eu não conheço. Sabe quando você tenta desfazer de alguém pra se sentir melhor? É mais ou menos isso que o despeito faz. Desse mal graças a Deus nunca morro. Padeço de outro. A sinceridade. Até mesmo quando ela está contra mim.

Certa vez um ex-namoradinho de infância meu havia começado o namoro com outra menina. Eu ainda gostava dele. E muito, mas minhas amigas não se conformavam com o fim do namoro. E tome-lhe a falar mal da beleza da menina. E quando elas não se contentaram disseram que ela era burra, que um ó com copo não conseguia escrever direito. É claro que eu sei que elas faziam isso por que eram minhas amigas. Não sei se achavam isso mesmo (até deviam achar já que me amavam e me viam como uma pessoa melhor pra ele) ou se só faziam isso pra eu me sentir melhor.

Certo dia estávamos conversando e eu soltei o que para elas era uma heresia e pérola sem tamanho: “Ahh gente, eu acho ela bonita sim”. Nossa, como fui criticada. Mesmo assim bati o pé firme em minha opinião. Eu realmente achava a criatura bonita. Minhas amigas não entenderam nada, mas eu não poderia simplesmente fazer coro com elas apenas por que a menina era namorada de alguém que eu gostava sendo que eu sabia que aquela não era a minha opinião sincera.

Vamos à sinceridade. Deus do céu, como eu sofro. Essa é ao mesmo tempo uma qualidade e um defeito meu. É bom por que as pessoas que convivem comigo sabem em quem podem confiar. Kaline sempre costuma dizer que esse é o nosso maior bem e no que a nossa amizade é baseada. É óbvio que não somos o tempo inteiro sinceras uma com a outra, mas como temos gênios fortes quando somos... Saiam debaixo.


Mas a sinceridade pode ser um defeito? Pode. Quando? Quando você fala demais. E desse mal eu sofro. Sou sincera ao ponto de admitir isso. Sabe quando você fala, fala, fala o que vem na cabeça sem pensar? É isso mesmo. É o que faço. As vezes me arrependo de falar demais, mas nunca do que falei. É a minha opinião sincera. O que tenho é que aprender a falar menos, afinal tem coisas que não é da minha conta. Aos poucos tô aprendendo a ser assim.


Por Karoliny Dias
semessadeamelia@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário