quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Com emoção ou sem emoção?

Para mim não há dúvida: com emoção. Não consigo viver se não for com emoção.Não consigo transar sem me envolver. Beijar e não ligar dois dias depois. Escrever sem ninguém para ler. Brigo em toda discussão sobre política, religião e futebol. Sou apenas 30% de razão e 220 voltz de emoção. Torço para o Vitória seja aqui ou no Alaska. Não consigo torcer para dois times. Até porque já basta sofrer por um.

Vira pessoal qualquer briga sobre política e políticos. Faço de tudo para não entrar na briga, mas, às vezes, é preciso. Religião nem se fala. Sou do candomblé e não gosto da católica. Não sou judeu, não conheço a muçulmana, simpatizo com o espiritismo e adoro o budismo.

Não consigo ficar sem torcer, vibrar, vestir a camisa pela empresa, mesmo sabendo que só vou enriquecer meu chefe. Mesmo sendo freelancer. Sou oito ou oitenta. Ou muito calmo, ou muito violento. Ou muito apaixonado, ou nada. Até as doenças são mais dolorosas: pedra nos rins, gota e esse coração MONGOLÓIDE!

Não sei ser meio termo. Nem morno, nem cinza, nem alegre, nem triste. E vou morrer tentando ser o meio termo. O equilíbrio. O equilíbrio que nunca vai existir.

Matheus Rodrigues
Colaborador
semessadeamelia@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário