quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Sempre Tati Bernardi

Boa demais para você

Eu não posso crer que uma burra assuste menos. Eu duvido que uma feinha seja melhor porque causa menos dor de cabeça

Fala, eu aguento. Vocês foram embora apenas porque acabou o tesão, porque a assistente nova que apareceu prometia um sexo mais selvagem. Ou porque, uma vez tendo conseguido tudo de mim, vocês, caçadores, precisavam de uma nova presa. Ou porque é assim mesmo. As coisas começam e acabam. Tudo bem que ando meio sem “meio” nessa infinidade de começos e fins. Tudo é muito rápido. E daí vêm minhas amigas e analistas e livros e filmes e peças de teatro e tias e mães de amigas: eles têm medo de você. Porque você ganha bem, porque você tem opinião, porque você namorou muitos caras, porque você é crítica, porque você é inteligente. Ah vá. E Papai Noel e Coelhinho da Páscoa também foram embora porque nós, mulheres modernas, assustamos eles. E que mulher em pleno 2011 não é moderna? Que papo mais besta e mentiroso. Espia aí da sua janela. Por acaso você vê alguma virgem andando de anágua na rua, acompanhada de um homem para não ficar mal-falada? Por favor, me ajude a parar a disseminação desenfreada dessa falácia. Fale pra sua mulher “tô indo embora porque você tem bafo”. Ou ainda “tô indo embora porque odeio o som que você faz pra limpar a garganta de manhã”. Pode ser bem sincero mesmo, “tô indo embora porque preciso comer alguém mais magra”. Pode doer na hora, mas é melhor do que essa multidão de mulheres tagarelando pelas ruas com seus saltos e diplomas e agendas e pressas: coitado, sou muito boa pra ele, ele ficou com medo de mim!

Você que nasceu homem, você que nasceu esse ser completamente diferente e estranho pra mim, mas que, ainda assim, é algo sem o qual minha vida fica triste e chata, faça um favor: me escreva e seja muito honesto. Prometo jamais divulgar seu nome. Leio e deleto tudo. Mas, se você tem piedade do sexo oposto, por favor, só por esta vez, me diga honestamente: existe MESMO esse lance de ter medo de mulher bacanuda? Porque esse papo, que tanto ouvimos em psicanalistas, programas de auditório, cartomantes e revistas modernas da mulher suicida… Não, não pode ser. Eu não posso crer que uma burra assuste menos. Eu duvido que uma feinha seja melhor porque causa menos dor de cabeça. Que uma sonsa muda e sem opinião seja o símbolo da paz que vocês tanto buscam. Pra mim é inaceitável que uma mulher vivida possa colocar a segurança de vocês em risco.

Me digam que é mentira, por favor. Não é possível que sonhamos a vida inteira com seres tão fracos para construirmos nossas vidas. E que, enquanto lemos e aprendemos e malhamos e ganhamos dinheiro e curtimos a vida para nos tornar mulheres mais interessantes e vividas e gostosas, só estamos nos distanciando mais de vocês. E que a prima lobotomizada do interior de Caxote Mirim do Cupuaçu mexe com vocês de um jeito inexplicável. Ela é doce e meiga. Ela nunca levanta a voz ou discorda. Ela não te cobra e sempre te recebe com um sorriso nos lábios. Ela te esperou a vida inteira. Ela não faz mal a uma mosca. Doce Maria das Graças, mulher que aturou seu avô, morreu sem nunca dar um murro na mesa do restaurante e nunca mais vai reencarnar, para o deleite dos seus oprimidos sonhos arcaicos.


E aí meninos? Já que vocês são os nossos maiores leitores, a Tati tá certa ou não tá?

semessadeamelia@hotmail.com

Do facebook...



"O que é? Você a achou feia? Olhe bem nesta foto, olhe bem o rosto desta menina… Você está vendo este sorriso? Consegue imaginar o quanto ela deve sofrer por não se encaixar nos padrões “perfeitos” que a sociedade ignorante aceita? Mas você consegue, também, imaginar o quanto ela é feliz por saber que alguém a ama, do jeito que ela é? Olhe bem para este sorriso. Olhe bem para esta foto. Este momento. Agora pense um pouco… Você vive no seu mundinho, tentando, de certo modo, criar a perfeição. Tentando ser aceitável, tentando se adequar ao que os outros julgam correto, e muitas vezes é infeliz. Então, por favor, pare de julgar tanto as outras pessoas. Pare pra pensar que, mesmo com todas as características - que na sua mente são defeitos - dela, ela pode, sim, ser muito mais feliz que você. Existem pessoas que a amam. Deus a ama. E assim como você, aos olhos Dele, é a pessoa mais bonita deste mundo, ela também é. Respeite-a. Aceite-a. Afinal, nunca se sabe como você é visto por nossa estupida sociedade."

terça-feira, 29 de novembro de 2011

De uma leitora

Como bem disse, nós somos só olhos e ouvidos para vocês. Esse Blog é feito especialmente para todos os nossos leitores. Uma leitora especial, ela não quis se identificar, nos enviou por e-mail esse texto e pediu que ele fosse publicado. Uma coisa eu digo: ele é LINDO! E digo mais, tem muito de mim também. Por isso te digo leitora que você escreveu um pouco de minha história em suas palavras. Mas também, quem nunca?
Deliciem-se.
Karoliny Dias
Não existe flashback para quem nunca foi de verdade
O calor estava daqueles insuportáveis, com um ar tão pesado que quase pode-se tocar. Ela começou a achar que a viagem se tornava cada vez mais lenta, mas pra quem esperou por tanto tempo, valia a pena. Eram quatro anos. Tinha que valer. Os olhos pesados provocados pela vodca com gelo que no dia anterior tinha sido motivo de alegria, hoje tornava tudo mais dramático, com uma dor de cabeça que ameaçava chegar...
Ele impaciente esperava, olhava para o relógio, para o celular, para a TV e nada parecia dar respostas. Ainda estava cansado, de tanto nadar, correr, malhar, curtir e morrer na praia, esperar na esperança de que não fosse uma tentativa em vão. Depois de quatro anos, talvez fosse um novo começo. Ele a aguardava.

Ao chegar ela reconheceu os prédios e o cheiro que tanto amava rever e odiava ter deixado para trás, a cada quadra avançada, era um passo para frente (ou para trás?) num jogo que começou muito antes dos seus problemas.  Lá estava ela, diante do prédio onde tanto foi feliz,  infeliz, feliz novamente... Eram tantas dúvidas, mas o sentimento falou mais alto. Vendo rostos conhecidos e olhares atônitos, ela entrou no elevador e apertou o oitavo andar. A porta se fecha e tudo fica pra trás.
O calor que não passava, parece que aumentava com a intensidade e com as horas. Ele pôs seus pés 38 no chão branco de uma sala que por mais que tentasse nunca ficava arrumada. No canto uma caixa de som, sustentava alguns cd´s, muitos deles presentes dos dois, na época que eram dois, agora ele era só um, ou muitos como costumava dizer quando encontrava com os amigos. Sentia falta de ser dois.
Ela tocou a campainha. Ele ouviu a campainha.
Quando a porta se abriu, dois mundos se abriram. Nunca mais olhos com tanta cumplicidade se encontraram, era muito a se dizer em um só olhar. Ela nunca tinha visto ele tão bem, o corpo mais forte, se mostrava claramente pela camiseta verde água, a favorita dele, disso ela não tinha se esquecido. Ele viu a mesma menina de sempre, porém com uma maquiagem que mal disfarçava os olhos cansados de quem chorava por dentro, mas se mostrava forte por fora. Diante dele estava mulher que tanto amou e odiou.  
Naquele momento tudo lá fora parou. Os dois se abraçaram como irmãos. Beijaram-se como amantes. E fizeram amor como se fossem a última vez de suas vidas. Da mesma maneira que um maestro rege uma orquestra, eles tocavam um ao outro, sem esquecer nenhuma nota. Podia-se ouvir a música no ar.
O calor agora não parecia tão ruim, já que seus corpos nus, cansados, desfaleciam sobre a cama desarrumada... O olhar dos dois tentava se encontrar novamente, na penumbra que invadia o quarto. Eles sempre foram assim, um casal que não se via, mas se sentiam a todo momento.
E foi nessa hora que o tempo perdeu seu valor, e os anos pareceram segundos. Por que onde existe amor, o tempo para, somente para ser amado.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Se valorize sem marra!

Que existem mulheres que se fazem de difícil todo mundo já sabe, mas será que estas levam alguma vantagem sobre isso? O que posso dizer é que a mulher a qual usa da arrogância para ser aparentemente difícil, não ganha em nada, uma vez que o existem várias outras as quais se valorizam mantendo a delicadeza. Estas sim podem se sair bem, usando sua simpatia para conquistar, e assim , permitindo ser conquistadas.

Eu acho legal que a iniciativa parta do homem, porém a mulher deve também se mostrar interessada. Isto não tem nada de errado, e deveria ser frequente, em nossos dias, já que uma vez tomada a iniciativa pelo homem, este mostrou-se interessado, então, agora, só depende da mulher.

Ao contrário do que pensam as mulheres, nem todo homem sai cantando qualquer uma na noite. Há quem as observe a todo tempo e assim consiga tirar suas conclusões acerca da mesma, conhecendo-as melhor que elas mesmas possam imaginar, sem sequer conversar com elas. Então, não se assuste se um homem lhe chamar pra sair sem que você o conheça, ele pode ter lhe observado a noite inteira. Que tal dar uma chance para ele? E quem sabe, não se possa começar ao menos uma grande amizade?

Por Matheus Almeida
Colaborador
semessadeamelia@hotmail.com

Orgasmos múltiplos:


E sobre a vida: Ela não se resume apenas em SEXO ( que por sinal, muito bom... quando bem feito)

- Bomba de chocolate;
- Vinhos;
- Dormir abraçado;
- Banho de mar;
- Ver o sol nascer;
- Ganhar na loteria;
- Rede depois do almoço;
- Beijar de língua em público;
- Ser promovido;
- Nelson Rodrigues;
- Música de Tom;
- Letra de Chico;
- Verão na Bahia;
- Sorvete no calor;
- Comprar um sonho de consumo;
- Coca-Cola normal gelada;
- Ter presente na árvore de Natal;
- Tirar no amigo secreto a pessoa que você ama;
- Banho de cachoeira;
- Edredon no inverno;
- Não trabalhar segunda-feira;
- Férias;
- Bala;
- Banho quente;
- Espirro;
- Amor de mãe;
- Amor de amigo:
- Comida de mãe;
- Paris;


Gozar.. Gozar .. Gozar a VIDA!

semessadeamelia@hotmail.com

sábado, 26 de novembro de 2011

Ahhh Mario Lago!

Ator, compositor, poeta, escritor, boêmio e militante político. Um homem multifacetado. Soberano em sua inteligência. Ia se chamar Mário de Pádua Jovita Corrêa do Lago. Só que na hora em que o seu pai ia registrá-lo achou que era nome demais para uma criança que poderia até mesmo não vingar. Mario era o filho do maestro Antônio Lago e de Francisca Maria Vicencia Croccia Lago. Um bebê comprido e magro, de 49 centímetros e pouco mais de dois quilos.

O danado do menino não só vingou, como viveu 90 anos. Alguém tem noção do que é viver 90 anos? O boêmio Mario Lago morreu em 2002 em sua casa de enfisema pulmonar. Se estivesse vivo, completaria hoje 100 anos. Foi um dos artistas mais produtivos de seu tempo. Entre uma de suas produções cito a que mais nos interessa. A composição “Amélia”. Ai que saudades da Amélia...

Amélia era a descrição daquela mulher idealizada. Aquela que “não tinha a menor vaidade”. Mas será que ela realmente uma mulher de verdade? Aí "Amélia" tornou-se sinônimo de mulher submissa, resignada e dedicada aos trabalhos domésticos. Submissa? Resignada? Trabalhos domésticos? Alguma mulher consegue se imaginar assim hoje?

Não podemos culpar o Mario. Ele foi criado em uma época em que mulher não tinha direitos, vontades, anseios. Em que uma mulher não poderia em hipótese alguma contestar uma ordem do homem mais próximo, fosse ele pai, marido ou até mesmo irmão. É, as mulheres mudaram (graças a Deus). O mundo mudou. Mas ficou a dúvida. A mulher ideal de Mario Lago era aquela que ele



“Nunca vi fazer tanta exigência
Nem fazer o que você me faz
Você não sabe o que é consciência
Nem vê que eu sou um pobre rapaz
Você só pensa em luxo e riqueza
Tudo o que você vê, você quer
Ai, meu Deus, que saudade da Amélia
Aquilo sim é que era mulher

Às vezes passava fome ao meu lado
E achava bonito não ter o que comer
Quando me via contrariado
Dizia: "Meu filho, o que se há de fazer!"
Amélia não tinha a menor vaidade
Amélia é que era mulher de verdade”


E a mulher ideal de hoje? Qual é? Por que vocês não nos respondem? Vamos postar as melhores respostas. Estamos esperando! E ahhh, Sem Essa de Amélia, Mario!



Por Karoliny Dias
semessadeamelia@hotmail.com


sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Viva os nossos leitores!!!


No dia 03 de outubro de 2011 nascia um sonho. O sonho de Paula Kaline. Como dissemos a vocês, a Karoliny Dias embarcou nesses sonhos, por que os sonhos de Kaline eram também os sonhos dela. E não façam vistas grossas por que essa redundância vale e é linda já que estamos em um momento de festa (rsrsrsrs). Completamos hoje a nossa visita de número 3 mil. Só posso dizer uma coisa: o sentimento é inexplicável.

Como agradecer tanto amor, tanta confiança? Como se agradece carinho? Só posso desejar a vocês mais amor, mais carinho e dizer que não se arrependerão de ter perdido um minutinho de tempo de vocês que seja lendo os nossos desabafos e as nossas histórias. E acreditem: esses são só os dois primeiros meses de muitos outros de diversão que virão pela frente.

Nós, Karoliny Dias e Paula Kaline, agradecemos do fundo do nosso coração por tudo! E continuem nos visitando. Sejam sempre todos muito bem vindos e contem sempre conosco! Amamos cada um de vocês!

semessadeamelia@hotmail.com

A visão masculina da coisa

Quem nunca passou em sua adolescência pela agonia da espera para descobrir se está ou não está grávida? Se você era sexualmente ativa, é claro que já experimentou algo do tipo. Mas nós mulheres só conseguimos enxergar isso pela nossa ótica. “Vai sobrar pra mim”, “sou eu que vou engordar”, “o trabalhado vai ser todo meu” ou “os meus pais vão me matar” como se o homem ou o garoto também não tivesse suas dúvidas e angústias. A seguir um texto de Luilton Pires, um desses escritores phodásticos que eu (Karoliny Dias) conheci no twitter através da amiga Maristelly de Vasconcelos e que me deixa de boca aberta com suas sacadas e sua sagacidade. O homem é inteligente. Acreditem.


Os filhos que não tive

 

- Amor, minha menstruação não veio.
- Não fala isso, pelo amor de Deus!

E essa é aquela fase da vida de um homem, em que uma ligação com um “amor, veio” traz a maior sensação de alívio que se pode ter. Na adolescência, o ímpeto natural de se entregar à paixão e ao momento, não vem junto com o discernimento necessário pra comprar uma camisinha. Às vezes, não dá tempo e a gente acha que vale a pena arriscar só aquela vez.
Aí você fica contando com a sorte. A preocupação começa imediatamente após a relação sexual. Os dias seguintes são um grande tormento, em que se tenta esquecer que você pode ser pai. Por um momento, até fazer planos, como vai ser o nome, ensaiar o que vou dizer aos meus pais, e por aí vai.

- Amor, veio.

E tudo se transforma! Você quer gastar toda a migalha que tem na carteira e comemorar. Daí promete que nunca mais fará sexo sem camisinha. Promessa essa, que é quebrada logo que a menstruação da namoradinha acaba.
Então decidem que ela deve tomar um anticoncepcional. Tal pílula engorda, a injeção de hormônio faz nascer bigode e a gente passa a conviver com esses problemas, até que, após vários sustos filhos que não tivemos, a mulher decide que é melhor engordar um pouquinho do que engravidar fora de hora.

- Acho que chegou a hora de termos nossa filha.

Suspende a pílula e haja amor! Então o “amor, veio” passa a ser uma decepção atrás da outra. Comigo durou cerca de 5 anos. Já dava pra achar que havia algum problema e que deveriamos fazer um tratamento. Quando de repente, eu recebo uma camisa com a foto da ultrassonografia da minha primeira bebê.

Depois da primeira, a promessa de que não teria outro filho tão cedo. Promessa quebrada logo após o término da primeira menstruação. A segunda filha viria alguns meses depois.

Alguma medida drástica precisava ser tomada! Parar de fazer sexo, usar camisinha sempre, usar as pílulas que engordam... nada parecia ser uma boa ideia. Então o médico sugeriu o DIU.

A alegria está de volta à nossa casa! Finalmente o sexo sem medo, sem barreira, sem culpa e a vida conjugal toma um novo rumo. Três meses depois, do hospital, após um exame ginecológico, ela liga dizendo “amor, o DIU está completamente fora do lugar”.

Por 5 segundos eu me acho “o cara”, afinal deslocar um DIU não deve ser pra qualquer um. Logo depois, vem à tona aquela preocupação da adolescência: “será que ela está grávida?” Novos planos, quantas latas de leite, mais fraldas, e o futuro, a escola, e como serão as três nas cadeirinhas do carro...

Até que ela liga logo depois “amor, o médico disse que não estou grávida”.

Foi mais um dos milhares de filhos que tive, que apesar não terem se materializado, tiveram um pouquinho da minha atenção como pai.


Quer saber mais sobre Luilton Pires?







quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Para quem a mulher se veste?



Êita dúvida cruel. Como responder uma pergunta tão abrangente como essa? Uns dizem que uma mulher se veste pra outra, outros dizem que pra ela mesma e por aí vão as diversas opiniões. Eu sinceramente acho que cada ação e reação de uma mulher depende do momento que ela está vivendo. E isso vale para tudo. Para roupas, para amigos, para pais, para trabalho.

Explico: se a mulher está solteira e vai sair com os amigos, é obvio que ela vai se vestir para as amigas. Ou seja, ela liga para a companheira de farra e pergunta: “amiga, cê vai de calça, de saia ou de vestido?“. De acordo com a resposta ela vai escolher a sua vestimenta. Se tá afim de concorrer com a amiga, se a bendita vai de calça, ela coloca uma saia (mulher mal). Os homens prestarão mais atenção nela é claro. Se quer curtir veste uma roupa parecida.

Mas se a querida amiga está namorando por mais que seja difícil vocês acreditarem ela se veste para seu homem. Se você mulher já passou pela experiência de se preparar para ver o seu amor sabe do que estou falando. Quando você para e fica milimetricamente definindo tudo que você vai usar. E quando digo tudo, é tudo mesmo. Eu mesma escolho até o sabonete. Tem que ser aquele que você vai sair do banho e só vai sentir o cheiro do infeliz. Daí vem o hidratante, o perfume, a calçinha, a roupa, a maquiagem, o calçado e todos os acessórios que vai colocar. Tem mulher que pensa até no penteado. Ainda não cheguei nesse nível de neorotismo (juro! Rsrsrs).



Aí a escolha de roupas ainda varia de acordo com o local. Se a faculdade, se a porta de casa, se no trabalho. Mulher é realmente um bicho difícil de entender. Juro que em algumas horas gostaria de ser homem para tomar banho, colocar uma cueca, uma calça, uma blusa e um tênis e cair no mundo. Mas ainda assim, depois de toda produzida, dá gosto de você ver as pessoas, independente do sexo, te notando. Espero eu que pelo motivo certo, que é estar bem vestida e de acordo com o seu gosto. Nada de exageros. Acredite meninas: o seu melhor amigo e conselheiro na hora de se vestir é o espelho. Antes de sair faça uma consulta ao nosso melhor amigo.

Por Karoliny Dias
semessadeamelia@hotmail.com

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Importância da comunicação correta



O vigário de um vilarejo tinha um pinto como mascote, o Valente. Certo dia, o pinto Valente desapareceu, e ele achou que alguém o havia roubado.
No dia seguinte, na missa, o vigário perguntou à congregação:
-Algum de vocês aqui tem um pinto? Todos os homens se levantaram.
-Não, não, disse o vigário, não foi isso que eu quis dizer.
-O que eu quero saber é se algum de vocês viu um pinto? Todas as mulheres se levantaram.
-Não, não, repetiu o vigário... o que eu quero dizer é se algum  de vocês viu um pinto que não lhes pertence.  Metade das mulheres se levantou.
- Não, não, disse o vigário novamente muito atrapalhado.
- Talvez eu possa formular melhor a pergunta:
-O que eu quero saber é se algum de vocês viu o meu pinto? Todas as freiras se levantaram.
-Deixa pra lá! VAMOS REZAR...


Ahhh seu vigário danadinho!

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Quando tudo estava perdido...

Sabe aqueles momentos de sua vida em que você acha que tudo está perdido? Que você se sente o último dos seres humanos? Aquele em que você olha, e olha para o fim do túnel e não enxerga a infeliz da luz tão falada? Estava vivendo um momento como esse. Na realidade todos nós passamos por isso ao menos uma vez na vida. Aquele momento em que tudo dá errado e você se pergunta: por que eu? Por que comigo?

Com os momentos ruins sempre procuro aprender. Não procuro culpar ninguém pelo que passo. Se passei é por que eles foram frutos de minhas escolhas. Eu escolhi aquela pessoa, eu escolhi passar por aquilo, eu escolhi estar naquele lugar. Esse é um dos sinais do amadurecimento. Não quero dizer com isso que sou a mulher mais madura da face da terra, mas procuro a cada dia melhorar como ser humano. Procuro entender as pessoas e os motivos que as levam a enganar, magoar, desfazer, maltratar, desprezar. E acreditem: eu entendo.

Apois. Continuei vivendo. Ou melhor, sobrevivendo. E quando achava que tudo que já tinha pra dar errado já tinha dado, outro problema maior surgia. E com ele as noites mal dormidas, as preocupações, as dores, o choro copioso, as lágrimas silenciosas, as orações, as súplicas. E sempre dizem que Deus dá o frio conforme o cobertor né? E é verdade. Ele nunca te faz passar por situações as quais Ele não saiba que você conseguirá tirar tudo de letra e levar com naturalidade independente do tamanho do problema.

E continuam dizendo que Ele é pai, não é padrasto né? Verdade também. Por que quando você menos espera, de onde você menos espera, Ele te trás o chamado bálsamo. E no lugar que você pensava ser infértil, surgem novas esperanças, novos planos, uma nova vida. É assim que me sinto. Com uma nova vida adiante. “Acredita em anjo? Pois é, sou o seu”. Acredito sim. Anjos existem. E eu tenho um.


Por Karoliny Dias
semessadeamelia@hotmail.com

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Mulher delivery


Significado:
Um determinado tipo de mulher que quando o carinha está afim de um sexo, telefona para ela ir até sua casa dar ‘umazinha’.
E tudo na maior comodidade, no maior conforto sem precisar de muito trabalho. E digo mais, tudo isso com uma ajuda de um celular que no mínimo possui 500 mulheres na agenda que fazem o mesmo efeito. Ao alcance deles, com direito a escolha de horário e tudo (porque Mulher?)
Não vou dar nomes aos gados, digo, aos bois, mas tenho um amigo (cretino) que é um ninja nesse lance de se aproveitar dessas mulheres que, diga-se de passagem são muito burras. Ele sempre tinha uma agenda com vários números de mulheres (delivery), cujo o mesmo as apelidava de Pirizero (uma mistura de piriguete com 0800). Ele sempre ligava para essas moçinhas (muitas delas apaixonadas por ele) e saia transando com duas a três por semana. E o detalhe é que elas além de transar ainda acabavam agradando ele com alguns presentinhos. Zorra! O cara tinha sexo e ainda rolava uns brindes (é o fodão mesmo literalmente).
Mas a história desse mulecote não teve lá seu final feliz, ou melhor, ainda acho que tá longe de ter um final. Nessas suas buscas por facilidade o moço acabou se apaixonando por uma das pirezero (ofereceu um produto de qualidade, só pode e só rindo). E de “Comedor” esse sujeito passou a ser o “pagador” o pagador de pau, o pagador de mico, porque assumiu relacionamento sério com essa mulher que por ironia do destino o único amor que ela possui é pelo cartão de crédito, o carrinho e os passeios que o “pobre” (FDP, bem feito!) proporciona a ela. Sim meninas e moça continua seu serviço de Delivery, mas a bicha é tão sacana que ela só oferece aos amigos dele.
Sobre esse moço só digo uma coisa: Tú viu, liuu! (rindo alto)
Agora deixando a vida dos outros de lado, vamos a REFLEXÃO:
NUNCA, eu disse NUNCA faça com o outro aquilo que você não gostaria que fizessem com você. É o ditado mais piegas e o que mais se encaixa no caso de relacionamentos, seja ele qual for. De amizade, de transa casual, de namoro, de casamento e por aí vai. Acredite: no futuro você pode pagar bem caro. E o garanhão de hoje pode ser sim o motivo de piada nas rodas de conversas de amigos amanhã. Sim, seus amigos comentam e riem da sua imbecilidade diante de uma vadia em pele de cordeirinha manhosa. 


Por Paula Kaline

semessadeamelia@hotmail.com

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Por que se arrepender se é bem mais fácil cuidar?

Recebi de uma amiga um texto que me levou a refletir sobre algumas atitudes dos homens. Leiam na íntegra uma suposta carta de um homem profundamente arrependido por não valorizar sua namorada e ter que vê-la com uma performance altamente superior a tudo e a todos, fazendo com os homens o que corriqueiramente eles costumam fazer com as mulheres.

Talvez essas palavras sejam o que cada uma de nós desejaria ouvir um dia, dos “anjinhos” que dilaceraram nossos pobres corações. Sem lágrimas, queridas! Vale lembrar que “depois de uma tempestade, sempre a bonança...”



"Sabe essa garota que tá dançando lá na pista e você tá babando por ela, amigo? Minha ex namorada. Faz uns três meses que eu terminei com ela. Eu a traí todos os dias. E quando ela dizia que me amava eu ria.
Sabe essas roupas coladas e esse cabelo pro lado que ela tá usando aí? Ela costumava usar uma camiseta rosa e um shorts, com o cabelo preso pra trás. Mas ela não conseguia ficar feia, eu só não... sei porque nunca a disse isso.
Ela era louca por mim. Me mandava mensagem de bom dia, depois me lembrava de amarrar os cadarços que eu sempre esquecia, colocava sempre na minha agenda os horários do meu dentista e sabe como eu retribuía?
Vinha aqui zoar com meus amigos e ficar com umas que passassem de cabelo pro lado e roupa colada, assim, como ela tá hoje. Ela cuidava de mim todo fim da noite, mesmo que eu passasse o dia inteiro ignorando ela… Ela ainda ia lá, dizer que os anjos dela iam cuidar de mim.
Era a garota mais grudenta, ciumenta, complicada e estranha que eu já tinha conhecido. Eu gostava mesmo era dessas aí, de ficar uma noite e me darem o telefone errado. Aí eu terminei com ela. Falei que ela era trouxa e burra por acreditar em mim.
Dois dias depois, eu vi uma foto dela e chorei. Três dias depois, eu liguei pro celular dela e ela não atendeu. Quatro dias depois, eu fui na casa dela e ela disse que tava ocupada pra falar comigo. Cinco dias depois, eu não tive vontade de sair. No sexto, sétimo e no resto dos meses eu sentia falta dela todos os dias.
 Até que me puxaram pra uma balada, a mesma que eu ia pra ficar com essas meninas que não querem saber de mais nada a não ser delas mesmas e a encontrei aqui. Linda. Os olhos delas brilhavam.
Eu fui falar com ela e ela ficou comigo. Achei que, dessa vez, eu podia tê-la nas mãos de novo, mas dessa vez, pra valorizá-la. Pedi seu número do celular novo e ela me deu. Liguei no dia seguinte e a moça da padaria atendeu: Número errado. Chorei. De saudade. Arrependimento. Receio. E de saber que a garota que eu ria, se tornou na garota que ria de mim.
Pior, a garota que era minha, agora tinha um tanto de caras querendo ser dela e ela querendo aproveitar o tempo que perdeu.
Eu fiz a garota dos meus sonhos ser o sonho de todos os garotos por aí. Eu a perdi. E sabe o que ela me falou no começo da festa? Que ela não era trouxa e nem burra de acreditar no amor que eu dizia sentir por ela.
E sabe o que dói? Vê-lá dançando, rindo e não se preocupou em nenhum momento em olhar pra cá, me ver babando por ela e chorando por nunca ter percebido o quanto ela era importante pra mim, antes.
Por isso valorize a quem te ama e jamais brinque com os sentimentos de uma mulher!"

Observem! Tem situações que sinceramente não sei ao certo se me causam prazer ou revolta. É impressionante como o ser humano só dá valor às pessoas depois que as perde. Perceba, eu disse “ser humano”. Não serei injusta a ponto de atribuir essa prática somente aos homens (coitadinhos), embora, num modo geral, o trivial é ouvir das mulheres as infinitas queixas sobre decepções amorosas, traições, falta de atenção, reconhecimento, cuidado, compreensão...

Os discursos passam por sentimentos distintos (mágoa, ressentimento, angústia, tristeza, revolta, raiva, rancor, ódio) e variam assim como os ambientes que se sucedem (salões de beleza, consultórios de terapia, redes sociais, conversas banhadas de lágrimas com as amigas ao celular, em jardins, nas praças de shopping, em casa, na cama, no travesseiro). O palco pouco importa, o fato é que cada uma de nós temos uma história triste para contar, mas como tudo na vida nada dura para sempre, nem a dor (pra sorte nossa).



Analisando o perfil da namorada do “anjo sofredor”, percebi que nosso instinto materno muitas vezes ao invés de ajudar, prejudica. Tudo na vida deve ser dosado (até remédios, senão viram drogas e te intoxicam). Isso vale também para o amor. “Quando a gente gosta é claro que a gente cuida”, mas até o ponto que não precisamos parar nossa vida para viver a vida deles.

Devemos preservar mais nossos sentimentos e lembrar todos os dias que quando procura uma mulher, o homem não busca encontrar uma segunda mãe. Lembre-se disso toda vez que se apaixonar. O que não vale é ficar esperando por esse fenômeno (o arrependimento masculino) raro como um eclipse lunar para tocar nossas vidas. Enquanto ele não chega (o que é mais provável) devemos olhar para dentro de nós, e dizer:

- Ele não sabe o que perdeu. Vamos sacudir a poeira e seguir, porque é pra frente que se anda.


Por Thays Bahia
Colaboradora
semessadeamelia@hotmail.com

Para descontrair

Na fila do ônibus estavam uma senhora e todos seus 10 filhos. Junto deles estava um senhor de meia idade, com uma das pernas de pau. O ônibus chegou, a criançada entrou primeiro e ocupou todos os bancos vazios.
O senhor e a senhora entraram e ficaram de pé. Na arrancada do ônibus o senhor da perna de pau, com visível dificuldade, desequilibrou-se para trás, e o barulho foi
inconfundível:
TOC... TOC... TOC... TOC...
Quando o ônibus freou, a mesma coisa aconteceu, agora para frente:
TOC... TOC... TOC... TOC...
Na arrancada, novamente: 
TOC... TOC... TOC... TOC...
E assim foi, por várias vezes. Num determinado momento, já incomodada com o barulho e, ao mesmo tempo, tentando ser gentil, a mãe das 10 crianças disse ao perneta:
- Perdão, mas eu gostaria de fazer uma sugestão ao senhor... Por que o senhor não coloca uma borrachinha na ponta do pau? Com certeza vai diminuir o barulho e incomodar menos a todos.
Imediatamente, o perneta respondeu:
- Agradeço a sugestão, mas se a senhora também tivesse colocado uma borrachinha na ponta do pau estaríamos agora todos sentados, numa boa!!

MINISTERIO DA SAÚDE ADVERTE:

 "USE SEMPRE BORRACHINHA NA PONTA DO PAU"

Tá vendo? Aprendam pessoas! Rsrsrsrs

semessadeamelia@hotmail.com

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Com emoção ou sem emoção?

Para mim não há dúvida: com emoção. Não consigo viver se não for com emoção.Não consigo transar sem me envolver. Beijar e não ligar dois dias depois. Escrever sem ninguém para ler. Brigo em toda discussão sobre política, religião e futebol. Sou apenas 30% de razão e 220 voltz de emoção. Torço para o Vitória seja aqui ou no Alaska. Não consigo torcer para dois times. Até porque já basta sofrer por um.

Vira pessoal qualquer briga sobre política e políticos. Faço de tudo para não entrar na briga, mas, às vezes, é preciso. Religião nem se fala. Sou do candomblé e não gosto da católica. Não sou judeu, não conheço a muçulmana, simpatizo com o espiritismo e adoro o budismo.

Não consigo ficar sem torcer, vibrar, vestir a camisa pela empresa, mesmo sabendo que só vou enriquecer meu chefe. Mesmo sendo freelancer. Sou oito ou oitenta. Ou muito calmo, ou muito violento. Ou muito apaixonado, ou nada. Até as doenças são mais dolorosas: pedra nos rins, gota e esse coração MONGOLÓIDE!

Não sei ser meio termo. Nem morno, nem cinza, nem alegre, nem triste. E vou morrer tentando ser o meio termo. O equilíbrio. O equilíbrio que nunca vai existir.

Matheus Rodrigues
Colaborador
semessadeamelia@hotmail.com

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Os homens sofrem escondidos!

Olhe que nessas minhas poucas aventuras, já vi muito homem sofrer por mulher. A sinceridade deles em relação ao sentimento puro é ‘tão tão’, que costumo dizer que eles viram verdadeiras ‘menininhas’ quando o assunto é Amor (com letra maiúscula por que estou falando de amor de verdade).

De certo modo para o homem é bem mais difícil expor seus sentimentos fazendo-os muitas vezes tornar-se uma espécie de escudo (eles evitam gostar de uma pessoa como se fosse possível mandar em seus corações). Eles são mais que emoção aliada à razão e sofrem diante um rompimento (um pé na bunda) de alguém que realmente gosta. 



A diferença deles para as mulheres está na forma como se lida com o sofrimento, não deixando isso interferir na suas vidas (alguns, rsrs) Apesar de estarem derrotados por dentro, eles continuam bebendo, indo as festas, paquerando e o pior, copulando como se nada estivesse acontecendo. E pra completar, você nunca vai ver um homem ligando para o amigo, chorando ao telefone por ter levado aquele ‘pé na bunda’. Eles apenas falam com pesar do rompimento. E só.


Reflexão:

Homem sofre sim gata! E às vezes mais do que a gente. Sofrimento no término do namoro não é mais exclusividade feminina. Proponho a vocês que reflitam porque os tempos mudaram e ao invés de generalizar seria bom em uma próxima tentativa estar com o coração aberto, pois só depende das mulheres para ensinar aos seus parceiros o que gostariam de receber em um relacionamento e ajudá-los a não inibir o que está sentindo.

Provavelmente não encontraram um príncipe encantado, mas terão uma grande chance de ter uma pessoa bem melhor para dividir sua vida. Ame seu homem sem medo do resultado e faça com que ele demonstre esse sentimento, mas lembrando: pés sempre no chão. Adoro o ser masculino, mas depois de tantas aprendi a não confiar tanto nesses sentimentos.

Sorte meninas! O caminho não é fácil, mas será bem gostoso tentar.

Por Paula Kaline
semessadeamelia@hotmail.com

Despeito e sinceridade


Despeito. Se existir algo mais nojento em um ser humano eu não conheço. Sabe quando você tenta desfazer de alguém pra se sentir melhor? É mais ou menos isso que o despeito faz. Desse mal graças a Deus nunca morro. Padeço de outro. A sinceridade. Até mesmo quando ela está contra mim.

Certa vez um ex-namoradinho de infância meu havia começado o namoro com outra menina. Eu ainda gostava dele. E muito, mas minhas amigas não se conformavam com o fim do namoro. E tome-lhe a falar mal da beleza da menina. E quando elas não se contentaram disseram que ela era burra, que um ó com copo não conseguia escrever direito. É claro que eu sei que elas faziam isso por que eram minhas amigas. Não sei se achavam isso mesmo (até deviam achar já que me amavam e me viam como uma pessoa melhor pra ele) ou se só faziam isso pra eu me sentir melhor.

Certo dia estávamos conversando e eu soltei o que para elas era uma heresia e pérola sem tamanho: “Ahh gente, eu acho ela bonita sim”. Nossa, como fui criticada. Mesmo assim bati o pé firme em minha opinião. Eu realmente achava a criatura bonita. Minhas amigas não entenderam nada, mas eu não poderia simplesmente fazer coro com elas apenas por que a menina era namorada de alguém que eu gostava sendo que eu sabia que aquela não era a minha opinião sincera.

Vamos à sinceridade. Deus do céu, como eu sofro. Essa é ao mesmo tempo uma qualidade e um defeito meu. É bom por que as pessoas que convivem comigo sabem em quem podem confiar. Kaline sempre costuma dizer que esse é o nosso maior bem e no que a nossa amizade é baseada. É óbvio que não somos o tempo inteiro sinceras uma com a outra, mas como temos gênios fortes quando somos... Saiam debaixo.


Mas a sinceridade pode ser um defeito? Pode. Quando? Quando você fala demais. E desse mal eu sofro. Sou sincera ao ponto de admitir isso. Sabe quando você fala, fala, fala o que vem na cabeça sem pensar? É isso mesmo. É o que faço. As vezes me arrependo de falar demais, mas nunca do que falei. É a minha opinião sincera. O que tenho é que aprender a falar menos, afinal tem coisas que não é da minha conta. Aos poucos tô aprendendo a ser assim.


Por Karoliny Dias
semessadeamelia@hotmail.com

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Do fabebook...

...de Pedro Caria


"Um homem inteligente falando das mulheres

Tenho apenas um exemplar em casa, que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia.

Flores também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade. Respeite a natureza. Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia. Não faça sombra sobre ela.

Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda. Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.

É, meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay. Só tem mulher quem pode!"

O melhor amor do mundo

A semana foi corrida pacas. Por isso foi difícil escrever alguma coisa. Ahh preocupações, por que vocês existem? Mas vamos ao que interessa, o nosso tema de hoje. Foi realmente difícil pensar em alguma coisa. Nem sempre estamos no auge da inspiração por isso meninas podem nos mandar sobre temas que vocês querem que escrevamos por e-mail ou mesmo pelos comentários. Nós lemos todos. Desde já agradecemos os elogios. Ainda não recebemos críticas, mas as construtivas são muito bem vindas. Nós queremos a cada dia dar o melhor para vocês. Ta, já enrolei demais. Vamos à verdade dos fatos.

Hoje eu vou falar sobre relações destrutivas. São aquelas em que você está envolvida, mas tem a consciência de que ela não é o melhor para você. Infelizmente muitas mulheres ainda vivem dependentes de relações dessa forma. E justificam isso com a família quando todos, e até ela mesma, sabe que é por que ela ama. De uma forma estranha ou a que chamamos por aí de torta, mas ama.

Para alguém fazer mal ao outro não precisa ele bater. Uma palavra às vezes dói mais do que um tapa na cara. Literalmente. São mulheres ou mesmo homens que não são valorizados. Sofrem com o assédio moral de seus parceiros. Muitos deles fazem a pessoa acreditar que eles são a sua única opção quando isso não é verdade. São pessoas que estão no fundo do poço e não possuem mais auto-estima. Você pode estar numa relação como essa e nem perceber.

Quem vive com alguém dessa forma não sabe como será o dia de amanhã. E são humilhados de todas as formas possíveis e impossíveis. E acredite, nós não precisamos de ninguém para viver além de nós mesmos. O ser humano tem que aprender que a sua felicidade depende apenas de si. É claro que é difícil pôr isso em prática e nem eu estou dizendo aqui que é fácil, mas basta querermos. Força de vontade é o que define a sua situação. Dê uma basta. Olhe-se no espelho por que a uma altura dessa do campeonato você nem conhece mais esse objeto. Volte a se arrumar. Faça algo por você. Primeiro por seu físico, a sua aparência. Quando estamos belos temos mais segurança para enfrentar a vida. Depois cuide de seu interior. Ame-se. Esse sim é o verdadeiro e melhor amor. O amor próprio.


Por Karoliny Dias
semessadeamelia@hotmail.com

Mentiras

Às vezes penso que tem gente que possui uma patologia. São pessoas que não mentem, elas brincam de mentir. ‘Mentirite’ crônica sabe? É algo a ser estudado. Com certeza aí pelo mundo já deve ter algum cientista que teve a curiosidade de descobrir por que as pessoas mentem tanto. Na realidade neste exato momento vou lá no pai dos burros da internet saber se existe algo falando sobre isso. Vamos senhor Google, me diga algo!



E eis que eu descubro a teoria da mentira. Criada pelo Profº Fernando G. Sampaio da Escola Superior de Geopolítica e Estratégia a teoria diz que o objetivo da mentira é nos impedir de distinguir o verdadeiro do falso. É confundir, é iludir, é enganar e, assim, nos levar a tomar decisões erradas (para nós), mas que beneficiam quem criou e espalhou a mentira. Sábio professor.

Mas eu vou mais além. Mentira é uma espécie de querer o mal da pessoa. Quando se esconde uma verdade está se tirando o direito dela de tomar a decisão correta para uma situação. Explico: quando você mente, de uma forma ou de outra você a está prejudicando por que ela poderia muito bem buscar a forma correta de resolver as coisas. Imagine alguém resolvendo uma mentira. É ou não é papel de bobo que essa pessoa está fazendo?

Mas todo castigo para o mentiroso é pouco. Qual o castigo do mentiroso? Descobrir que no final ela (a mentira) realmente tem pernas curtas. E a mentira é descoberta. Não tem lição maior para o mentiroso do que descobrir que nem todas as mentiras que conta dá certo. Mas nada deve ser pior do que não saber se o que ele possui verdadeiramente é dele ou não. Ou mesmo se ele possui uma vida. Se ele vive a vida inventada por ele ou a sua vida real. E aí o mentiroso fica preso em suas próprias mentiras. 



E no final devemos ser como Pitty diz: “Mesmo que seja estranho, seja você. Mesmo que seja bizarro, bizarro, bizarro”. É muito melhor as pessoas te amarem pelo que você é do que pelo que elas acham. Máscaras um dia caem.



Por Karoliny Dias
semessadeamelia@hotmail.com