segunda-feira, 10 de outubro de 2011

‘Tamanho NÃO é documento'

O ser humano nunca esta satisfeito com seu próprio corpo. Nós mulheres vivemos nessa busca constante pelo corpo perfeito (barriguinha pra dentro, pernões e bundão). Ou seja, vamos ser inseguras a vida toda em relação a sermos gordas (que muitas nem são) ou estarmos fora dos padrões estabelecidos. E essa minha insegurança quem me fez querer saber, se os homens têm alguma insegurança desse tipo. E não é que tem!

Em nossa sociedade o homem é moldado como “o macho”, e macho que é macho tem que ter um “pinto grande” (será?). É incrível ver a vaidade masculina em relação ao seu pênis, muitos chegam até batizar o “bichinho” com nomes próprios e apelidos muita das vezes ridículos, mas, extremamente engraçados. Quem nunca ouviu um carinha dizer: “Vou enfiar meu Plinelson Silva todo em você” (vale lembrar que Plinelson Silva é o guitarrista de uma banda de pagode baiana). Sinceramente, não sabe o que chorar de rir.
Para alguns homens, o pênis é uma “máquina”, “uma obra de arte”, “uma arma”, um símbolo de poder. E ai de quem, diga que não! Pra eles, nós mulheres, damos extremo valor ao tamanho do “bendito” (a circunferência da coisa é mais importante que o comprimento, acreditem).

Na realidade, gostamos do que o “pinto” faz! (do cheiro, do gosto gostoso). Passamos a vida inteira em busca do encaixe quase perfeito, mas não é um pênis gigantesco que vai nos deixar loucas. O homem tem que saber usar sua ferramenta independente do tamanho que ela tenha. O pênis ideal basta ter um tamanho considerável!  Não é necessário ter um pinto de 20 centímetros para satisfazer uma mulher (mas se tiver, oba! Risos).  O tamanho, nada tem a ver com a masculinidade, potência ou resistência de um homem. E Hoje sabemos, com segurança, que a área de maior sensibilidade feminina é o clitóris e a entrada do conduto vaginal (estou falando isso com base em leituras científicas)

É bom lembrar seus moçinhos que muitas mulheres não gostam de “pinto” exagerado, geralmente eles acabam causando um desconforto (dores) o que conseqüentemente significa não ter nenhum prazer.  Nossas “bixinhas” são elásticas, mobilizada pelos estímulos sexuais, permitindo que se adapte aos mais diferentes tamanhos de pênis (P, M, G).

Então, meninos a dica do Sem essa de Amélia:

Não vamos deixar de amar (comer) vocês por causa do tamanho dos pintos. Sexo é importante, mas não é tudo! Deixem de nóia. É mais provável vocês perderem uma mulher, por não ter um carro importado, uma conta bancaria (as golpistas), do que não ter o pinto igual ao de “kid Bengala”. Nós valorizamos o conjunto, o ser “homem” como um todo. Estão vendo como somos humanas?  Depois dessa lição, passem a enxergar as mulheres da mesma forma humana que nos enxergamos vocês.





Por Paula kaline

Nenhum comentário:

Postar um comentário