segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Sem essa de amor a primeira vista


Sinceramente, não acredito mais nesse lance de “amor a primeira vista”. Às vezes fico me perguntando quem foi o babaca que cultivou essa ilusão em nossas tão prezadas mentes. Uma pessoa dotada de um mínimo de inteligência jamais se apaixonaria logo de cara. Ao menos seria isso o sensato.
Então querida essa pessoa, a qual falei (mal) no parágrafo anterior, a desprovida de inteligência sou eu lá por volta de mil e novecentos e antigamente. Aquele tempo que só bastava piscar os olhos e lá estava eu perdidamente apaixonada, sentada na varanda por volta das 5 horas da tarde (na hora e no local onde o sentimento fica mais aflorado) e ouvindo meu CD batido “Hits dos Anos 80”.
E essa paixão avassaladora que deveria acontecer uma vez a cada ano, sempre vinha 12 vezes ao ano. Em outras palavras me apaixonava uma vez por mês. Lembro daquela sensação terrível da boca seca, o coração que batia mais forte que bateria da escola de samba, as pernas trêmulas e aquela vontade louca de gritar “ei, me olha”. Na maioria das vezes o “carinha” nem sabia o meu nome, mas eu já sabia até seu CPF e quem dirá o resto.
Passavam dias com sensações bizarras, até eu finalmente ter aquele encontro com o meu “amor a primeira olhada”. Quando o tão sonhado dia chegava, lá estava eu de frente para criatura. Olhos nos olhos, mão na mão, esperando ouvir aquilo que eu fantasiei durante dias. Só imaginem a ansiedade e a expectativa que eu estava vivendo naquele momento. De repente aquele cara do primeiro olhar, na realidade era um menino que nem o meu nome sabia pronunciar da forma correta.
E lá vai eu desencantada, desiludida. E isso foi se repetindo até eu descobrir que amor é outra coisa, amor não tem explicação, não tem lógica. Vem com o tempo, e depende de vários olhares, de um beijo prolongado, daquele abraço beeeeem apertado. E logo em seguida vem uma saudade intensa. Aí ficamos ao telefone falando por horas a fio. E quando você fica horas ao telefone com uma pessoa e quanto mais você conversa mais assuntos vem surgindo você pára, dá aquela respirada bem funda e pensa “ é ele”. E sobre o lance do amor a primeira vista muitas vezes é furada querida!

Por Paula Kaline 

Nenhum comentário:

Postar um comentário