sexta-feira, 7 de outubro de 2011

“Segure as suas cabritas que o meu bode tá solto"

Homens ou Meninos?

Almoço com as amigas. Tem coisa melhor? Discutir assuntos variados e o principal: homens. O mais abordado de hoje foram os ‘homens’ moleques. Aqueles que ficam com as mulheres e depois saem espalhando. Um caso a ser estudado. Digam-me, qual a graça de se estar com uma mulher e depois em uma reunião de amigos falar dela como se ela não fosse nada?

É óbvio, não serei hipócrita, que as mulheres falam dos homens. De como foi aquela transa, se o beijo é bom ou não, se tem vontade de repetir. Mas não de forma vulgar (a não ser que a mulher que está falando seja, elas existem). Mas há aqueles que falam com o intuito de se fazer de garanhão denegrindo a imagem da mulher com que ele ficou. E PQP, Feira de Santana está cheia deles...

E vocês pensam que a ‘otarisse’ deles para por aí? Não mesmo. Não bastasse, ele liga para ela, que iludida e achando que ele tá afim, começa a falar sobre as intimidades que tiveram juntos no viva voz para os digníssimos amigos ouvirem e a pobre cai. E riem, e fazem chacota da criatura. São homens? Respondam-me meninas, como eu denomino uma pessoa assim?

Mas não deixamos de ter culpa em casos como esses. Afinal, somos nós que criamos e educamos canalhas como esses. “Segure as suas cabritas que o meu bode tá solto”. É a primeira justificativa que uma mãe dá quando recebe uma reclamação de que seu filho está passando dos limites com a filha de alguém. E assim ele cresce, com a licença dada pela sua querida mãe de que pode fazer das mulheres o que quiser. E não estão errados, foi à mãe dele, uma mulher, que disse que ele poderia fazer isso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário