terça-feira, 11 de outubro de 2011

Príncipe encantado existe?


Era uma vez uma menina que sonhava com o seu príncipe encantado. Ela cresceu e o sonho morreu. Fim. Essa poderia ser a história da maioria das mulheres que vemos na atualidade. Ao menos aquelas como eu. Com a maturidade percebemos que não existe o homem perfeito. Na realidade, não existe um ser perfeito. Com os nossos defeitos e qualidades completamos alguém.

Com o tempo descobri que amar vai muito além de querer ter o outro para si. De chamá-lo de cara metade. Descobri que amar não faz mal, ao contrário, só faz bem. Descobri que amar é querer ver o bem e a felicidade do ser amado. E a gente aprende isso com as circunstâncias da vida. É a própria vida que se encarrega de nos mostrar a forma correta de amar.

Descobri também que não é necessário anos para se amadurecer. Às vezes uma situação que você passa em alguns dias te faz uma mulher diferente da que você sempre foi. Te faz crescer e a enxergar as coisas de forma diferente. Age em sua vida como um divisor de águas. Tive uma dessas experiências há pouco tempo. Essa experiência me ensinou o verdadeiro sentido da palavra amor e o que significa praticar o desapego. Aquele mesmo que o Caio Fernando Abreu tanto fala.

Eu simplesmente deixei-o ir. Ele precisa viver as experiências dele para que, como eu, cresça. Como pessoa, como homem. E eu não tenho o direito de impedir que isso aconteça. E segui em frente. E estou vivendo. E não é aquele vivendo que a gente fala quando está sofrendo por amor. Não. Estou vivendo de verdade. Estou aberta para o mundo. E para novos aprendizados, novas experiências, uma nova vida. E de alguma forma acho que a encontrei.

Moral da história? Não podemos viver as experiências pelo outro. Não foi assim que crescemos e amadurecemos. Sempre exigimos de nossos pais enquanto estávamos em nosso processo de crescimento (e, diga-se de passagem, muito chato) que eles não se metessem em nossas vidas, que nos deixassem fazer delas o que nós quiséssemos fazer. Por que quando nos apaixonamos queremos enclausurar e tornar o outro nosso prisioneiro? Amor definitivamente não é isso!

“O que tem que ser seu, sempre voltará a você”.

"O que tenho deixo livre se voltarem é por que realmente conquistei, se não voltarem é por que jamais as tive"


Por Karoliny Dias

Nenhum comentário:

Postar um comentário